terça-feira, 8 de agosto de 2017

Nogueira desabafa: "A educação de Santana de mal a pior"

Em artigo publicado nas redes sociais, o ex-prefeito Antônio Nogueira critica o descaso da gestão Ofirney Sadala com a Educação de Santana e que ela vem regredindo diante dos avanços do seu governo. Leia o artigo abaixo:

*Por Antonio Nogueira

A educação de Santana está regredindo, perdendo a qualidade e a valorização dos seus profissionais.

Neste ano, as aulas no Município iniciaram, tardiamente, no dia 23 de março. Agora, no segundo semestre, não existe nem previsão para retorno.

Isso tudo por falta de planejamento e de iniciativa para condução dos trabalhos. Primeiro porque não se organizaram no período de transição para que as aulas iniciassem, ao menos, no início do mês de março.

Depois, o prefeito dispensou todos os profissionais da educação no final do mês de junho, mesmo nenhum deles tendo assinado contrato. Apenas tinham “Carta de Apresentação”.

Pior ainda! A Secretária municipal de Educação também foi exonerada e existem boatos de que novos professores serão contratados, ou seja, a maioria dos professores que irá assumir no segundo semestre será diferente daqueles que atuaram no primeiro.

Isso tudo faz perder a qualidade na educação santanense, além do que o ano letivo de 2017 só irá terminar no mês de março do ano que vem. Isso se as aulas iniciarem até o final deste mês de agosto.

Sei que o prefeito vai ordenar, mais uma vez, que os contratados e os cargos de confiança ataquem esta postagem, querendo me desqualificar, sob pena de perderem seus “empregos”. Não me importo com esses ataques, pois eu falo a verdade.

A verdade de como a educação de toda a história de Santana foi melhor no meu tempo: tinha uniforme de graça com mochila, tênis e material escolar; concurso público; passe-livre; merenda de qualidade (até açaí tinha. Rs); aumento salarial dos profissionais da educação, com piso salarial...

No meu governo conquistamos, também, a maior nota do IDEB do Estado do Amapá (índice de desenvolvimento da educação básica), nas séries iniciais, tendo sido perdida essa conquista no governo Robson Rocha, onde os índices foram reduzidos.

Antes dos adversários criticarem esta postagem, peço que, primeiro, digam ao prefeito para planejar e executar as ações deste governo e fazer, ao menos, a metade do que eu fiz. Aí, sim, poderão me criticar, com respaldo.

Ah, e não vale dizer que o país está em crise, com menos dinheiro nesta época do que no meu tempo.

Em 2012, meu último ano de mandato como prefeito, contei com 25 milhões de reais, somente do FUNDEB, para trabalhar a educação. Este ano de 2017, o prefeito Ofirney Sadala irá receber 50 milhões de reais da mesma fonte, ou seja, o dobro.

Espero que a ganância política não sobreponha os interesses da sociedade, e que o prefeito reveja sua postura administrativa enquanto há tempo, pois, do jeito que vai, é de ladeira abaixo!

*ANTONIO NOGUEIRA é ex-prefeito de Santana/AP